Notícias da África

Revista divulga primeiras imagens oficiais de Alicia Vikander como Lara Croft

RIO — Os fãs do game "Tomb Raider" já podem ter um gostinho de como será o próximo filme da franquia. Nesta segunda-feira, a revista "GQ" divulgou fotos oficiais da sueca Alicia Vikander — vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante em 2016 por "A garota dinamarquesa" — como a heroína Lara Croft, interpretada por Angelina Jolie nos filmes anteriores.

Já no começo deste ano, um perfil de fãs no Twitter divulgou imagens da atriz caracterizada como a personagem. Alicia Vikander como Lara Croft

Dirigido pelo norueguês Roar Uthaug, o longa finalizou as filmagens na África do Sul, e terá continuidade em Londres apenas em janeiro do ano que vem. Enquanto isso, o jeito é esperar, já que o filme só estreia em 16 de março de 2018.

oglobo.globo.com | 3/27/17 8:45 PM
Terrorismo, o retorno da Al-Qaeda
Esta organização radical implantou-se crescentemente na África Ocidental e no Iémen. Recrudesce a implantação no Afeganistão e, potencialmente bem pior, no Paquistão.O objetivo central desse percurso estratégico continuamos a ser nós – o Ocidente. www.publico.pt | 3/27/17 11:21 AM
Marcelo Crivella comenta estado de saúde: ‘Deus tem me ajudado muito’

RIO - O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, comentou sobre o seu estado de saúde na manhã deste sábado. Diagnosticado com tumor na próstata, o político confirmou que já está em tratamento contra a doença:

— Estou muito bem, graças a Deus. O Senhor Deus tem me ajudado muito. Tenho feito tratamento, mas estou muito bem.

De acordo com a assessoria do prefeito, não há previsão de que ele entre de licença médica. O tumor tem dois milímetros e existem várias alternativas de tratamento, ainda segundo com os assessores de Crivella. Caso seja necessário fazer uma cirurgia, o tempo de recuperação é de apenas uma semana.

A declaração foi dada em um evento de vacinação contra febre amarela nesta manhã, em um posto de saúde em Realengo, na Zona Oeste do Rio. No local, Crivella disse que já se vacinou contra a doença, por fazer várias viagens missionárias para a África. O prefeito também comentou sobre a nova escala da Guarda Municipal, que passa a ser de 12 por 60 horas:

— Não vamos tirar ninguém das ruas. Na verdade, fizemos uma escala, em que parte do efetivo passou a trabalhar no período de 12 por 60 e, outra parte, de 12 por 36 horas. Os guardas com mais tempo de serviço ficaram com o tempo de folga maior. Também estamos criando uma forma para cobrar as folgas deles em algumas ações especiais que estamos planejando. Crivella fala sobre estado de saúde

oglobo.globo.com | 3/25/17 2:42 PM
Milícia do Congo decapita 40 policiais em emboscada, dizem autoridades

KINSHASA, Congo — Milicianos da República Democrática do Congo decapitaram cerca de 40 policiais em uma emboscada, informaram autoridades locais neste sábado. Este já é considerado o ataque mais mortal às forças de segurança desde que uma insurreição começou na região, em agosto links congo passado.

Os milicianos de Kamuina Nsapu atacaram a polícia na sexta-feira, quando viajavam de Tshikapa para Kananga. Os membros da milícia roubaram armas e veículos, relatou François Kalamba, porta-voz da assembleia provincial de Kasai.

A insurgência, que se estendeu por cinco províncias, representa a mais séria ameaça para o governo do presidente Joseph Kabila. O fato de ele não ter saído do poder ao fim de seu mandato constitucional, em dezembro, provocou uma onda de assassinatos e de ilegalidade em toda a vasta nação da África Central.

— Eles [os policiais] foram apreendidos pelos membros da milícia, que decapitaram cerca de 40 — afirmou François Kalamba, acrescentando que a milícia poupou a vida de seis outros policiais capturados porque eles falavam a língua local, tshiluba.

O presidente da Sociedade Civil de Kasai, Corneil Mbombo, confirmou à Reuters que 40 agentes da polícia tiveram a cabeça cortada.

Mais de 400 pessoas já morreram por conta da violência na área central do Congo, de acordo com as Nações Unidas, e o governo disse na última terça-feira que 67 policiais e muitos soldados morreram nos confrontos.

oglobo.globo.com | 3/25/17 2:12 PM
Imunidade baixa exige avaliação médica

O Ministério da Saúde (MS) recomenda avaliação médica para pacientes que têm defesas imunológicas baixas e que precisem da vacina contra a febre amarela, seja por habitar regiões de risco ou que vão viajar para regiões afetadas por surto. A vacinação é recomendada em 19 estados do Brasil e em 152 países – a maioria dos que fazem a exigência fica na América do Sul e Central, África, Ásia e Oriente Médio, além de ilhas do Caribe e da Oceania. [Leia mais...] atarde.uol.com.br | 3/25/17 12:24 PM
STF rejeita recurso de Cunha contra decisão que o tornou réu na Corte
O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta quinta-feira, 23, um recurso apresentado no ano passado contra a decisão da Corte de aceitar a denúncia contra o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), oferecida pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Ele foi acusado de receber propina de contrato de exploração de petróleo no Bênin, na África, e usar contas na Suíça para lavar o dinheiro. [Leia mais...] atarde.uol.com.br | 3/23/17 8:41 PM
Após EUA e Reino Unido, Canadá estuda restringir eletrônicos em voos

OTTAWA - Após os EUA anunciarem a proibição de dispositivos eletrônicos nas cabines de voos a partir de oito países do Oriente Médio e do Norte da África, estimulando o Reino Unido a tomar uma medida semelhante, o Canadá também estuda obrigar que passageiros deixem estes objetos nas malas a serem despachadas. O motivo alegado é o temor de terrorismo. Avião

O ministro dos Transportes do governo de Justin Trudeau, Marc Garneau, afirmou ter recebido material de Inteligência passado pelo secretário de Segurança Interna dos EUA, John Kelly, explicando as razões para o veto anunciado. A proibição estaria relacionada a uma ameaça recente da al-Qaeda na Península Arábica (AQPA), grupo muito ativo no Iêmen, segundo fontes. Informações recentes indicam que a organização estaria aperfeiçoando técnicas para esconder bombas em baterias ou em compartimentos de aparelhos eletrônicos.

— Ele nos informou de uma situação que estamos analisando muito cuidadosamente — afirmou Garneau, ao revelar que o governo tomará uma decisão em breve. — Como um país que leva muito a sério o lado da segurança nos transportes, é nosso dever e obrigação conferir as informações que nos foram passadas por outras comunidades de Inteligência, o que faremos.

Depois de os Estados Unidos anunciarem a medida nesta terça-feira, o Reino Unido também proibiu dispositivos eletrônicos em voos a partir de seis países do Oriente Médio e do Norte da África. As restrições, que se aplicam a tablets, laptops, aparelhos de DVD e alguns tipos de telefones. O governo britânico disse que a medida é "necessária, eficaz e proporcional" e irá afetar oito companhias aéreas nacionais e seis estrangeiras.

No caso dos EUA, o governo de Donald Trump deu um prazo de 96 horas — a partir das 7h GMT (4h de Brasília) desta terça-feira — para que nove companhias aéreas de oito países de maioria muçulmana do Oriente Médio e do Norte da África proíbam seus passageiros de portar dispositivos maiores que telefones celulares ou smartphones na cabine.

Info - Produtos proibidos a bordo

Passageiros ainda podem viajar com esses itens, mas eles devem ser embalados em sua bagagem despachada. A proibição permanecerá em vigor por tempo indefinido, segundo autoridades federais.

— Se você assume que alguém quer transformar um laptop em uma bomba, funcionaria igualmente dentro do porão de carga — disse ao "Guardian" o pesquisador da Universidade da Califórnia Nicholas Weaver. — Se a preocupação é sobre hackear, um telefone é como um computador.

A proibição dos EUA afeta voos dos aeroportos internacionais na Jordânia, Kuwait, Egito, Turquia, Arábia Saudita, Marrocos, Qatar e Emirados Árabes Unidos. Algumas horas depois, a Turquia reagiu e pediu ao governo americano que levante a proibição à Turkish Airlines.

Info - aeroportos afetados pela lei dos EUA

O governo Trump vem causando controvérsia até na Justiça com as medidas antiterror. Na mais recente ação barrada judicialmente, o presidente amenizava discretamente o tom em relação a um decreto anterior, mas mantinha o veto à entrada de cidadãos de seis países de maioria muçulmana. A medida acabou suspensa na semana passada após juízes considerarem que ela continua violando direitos fundamentais.

Enquanto as medidas americanas aparentemente afetam apenas companhias estrangeiras, as tomadas pelo governo britânico atingem também as do país, como British Airways, EasyJet, Jet2, Monarch, Thomas Cook e Thomson. Entre as empresas estrangeiras, estão Turkish Airlines, Pegasus Airways, Atlas-Global Airlines, Middle East Airlines, Egyptair, Royal Jordanian, Tunis e AirSaudia.

Info - companhias afetadas

oglobo.globo.com | 3/21/17 10:14 PM
Reino Unido proíbe passageiros de 6 países de embarcar em voos com eletrônicos
O governo britânico, alegando questões de segurança, decidiu que passageiros que embarcam para o Reino Unido a partir de seis países do Oriente Médio e norte da África não poderão levar na bagagem de mão qualquer tipo de telefone, laptops ou tablets maiores do que 16 centímetros de comprimento, por 9,3 cm de largura e 1,5 cm de profundidade. Todos esses dispositivos precisarão ser colocados na bagagem de porão ainda antes de passar pela segurança. [Leia mais...] atarde.uol.com.br | 3/21/17 5:18 PM