Notícias : África Oriental

'Estou muito assustada para conseguir dormir': a cruel caçada por ossos de albinos no Malauí
Femia Tchulani relata sua rotina de medo depois de ter sobrevivido a uma tentativa de sequestro por 'caçadores' que queriam tirar partes do corpo dela; na África Oriental, muitos acreditam que ossos de albinos trazem saúde e sorte. www.bbc.com | 2/22/17 7:46 PM
Terremoto deixa pelo menos 11 mortos na Tanzânia

Um terremoto de 5,7 graus na escala Richter sacudiu neste sábado a região do Lago Victoria, na África Oriental, matando pelo menos 11 pessoas na Tanzânia. o presidente do país disse que muitos morreram.

O terremoto foi sentido em regiões distantes, como o oeste do Quênia e partes da Uganda, países que compartilham as águas do Lago Victoria. Os tremores também foram sentidos em Ruanda.

O 11 mortos da Tanzânia estavam em estruturas de tijolos na cidade de Bukoba,
disse Agostinho Olomi, comandante da polícia para a região de Kagera.

Um comunicado do gabinete do presidente da Tanzânia disse que ele estava "chocado com os relatórios sobre terremoto, que causou a morte de muitas pessoas, o ferimento de outras e a destruição de propriedade". O comunicado não forneceu dados específicos sobre o número de vítimas.

O terremoto foi superficial, ocorrendo a uma profundidade de 10 quilômetros. Sismos rasos geralmente tendem a ser mais prejudiciais do que terremotos mais profundos. As ondas sísmicas de terremotos profundos precisam viajar mais para a superfície, perdendo energia ao longo do caminho, enquanto o tremor de terremotos rasos é mais intenso.

Terremotos recentes na área do Lago Victoria têm causado perigos secundários, tais como deslizamentos de terra. O último terremoto notável na região foi em 2004 e mediu 4.7.
Fonte: Associated Press
www.folhadaregiao.com.br | 9/10/16 8:33 PM
Terremoto deixa pelo menos 11 mortos na Tanzânia
Um terremoto de 5,7 graus na escala Richter sacudiu neste sábado a região do Lago Victoria, na África Oriental, matando pelo menos 11 pessoas na Tanzânia. o presidente do país disse que muitos morreram.O terremoto foi sentido em regiões distantes, como o oeste do Quênia e partes da Uganda, países que compartilham as águas do Lago Victoria. Os tremores também foram sentidos em Ruanda. [Leia mais...] atarde.uol.com.br | 9/10/16 5:36 PM
Milhares de pessoas com câncer sem tratamento
Por Amy Fallon, da IPS –  Kampala, Uganda, 28/7/2016 – Uganda, que no passado teve um enorme êxito na luta contra o HIV, está perdendo a batalha contra o câncer, o grande problema de saúde deste país da África oriental. Um em cada 500 ugandeses tem essa doença, mas somente 5% receberão algum tipo de tratamento. […] www.envolverde.com.br | 7/28/16 12:51 PM
Só obstáculos no Sudão do Sul
Por Lyndal Rowlands, da IPS –  Nações Unidas, 7/7/2016 – O Sudão do Sul, mais novo país do mundo, completa cinco anos de existência com inúmeros problemas provocados pela guerra civil em curso, segundo organizações humanitárias internacionais. Este país da África oriental, que ficou independente em 9 de julho de 2011, está à beira do colapso […] www.envolverde.com.br | 7/7/16 1:41 PM
Marinha italiana resgata mais de 500 migrantes na costa da Líbia

TRÍPOLI — A Marinha italiana resgatou mais de 500 pessoas nesta quarta-feira depois que uma embarcação com destino à Europa naufragou na costa da Líbia. Pelo menos cinco pessoas se afogaram no naufrágio, que, de acordo com a marinha foi causado pela “superlotação e a instabilidade” na embarcação que carregava os imigrantes.

— Sempre esperamos salvar as pessoas que estão na proa, mas eles conseguiram salvar cerca de 550 pessoas, incluindo as que estavam na parte de dentro do barco — afirmou Flavio di Giacomo, porta-voz da Organização Internacional para as Migrações (OIM). — Isso é impressionante. É um milagre.

Ibrahim Mbalo, um imigrante gambiano que sobreviveu a um naufrágio que deixou cerca de 800 mortos em abril, conta que é virtualmente impossível escapar uma vez que a água entra no navio, já que a maior parte dos viajantes não sabe nadar, e tenta se agarrar a algo na esperança de flutuar. Veja imagens de resgate de náufragos na costa da Líbia

— Alguém agarrou minhas calças, então tive que me livrar delas para conseguir me salvar — conta Mbalo. — Fiquei debaixo d’água por quase quatro minutos.

Desde o início da semana, pelo menos 38 embarcações e mais de 6 mil pessoas foram resgatadas nas águas do Mediterrâneo. Segundo a OIM, 11 mil pessoas foram salvas desde o início do mês na região, e 39 mil desde o início do ano, um número similar ao registrado no mesmo período, no ano passado. Embora o acordo entre a União Europeia e a Turquia tenha reduzido a imigração para a Grécia, nenhuma medida conseguiu reduzir até agora as tentativas dos imigrantes de chegarem à Europa cruzando o Mediterrâneo a partir da Líbia.

Embora as nacionalidades dos resgatados nesta semana não tenham sido reveladas, desde janeiro, o número de sírios chegando à costa italiana diminuiu consideravelmente. A maior parte dos refugiados na região vem de países da África Subsaariana como Nigéria e Somália, e de países com regimes opressivos como Gâmbia e Eritreia. Os sírios, que representavam o principal grupo na rota do Mediterrâneo em 2014 têm enfrentado cada vez mais dificuldades para chegar à Líbia.

Suspeita-se que o barco que naufragou nesta quarta-feira tenha zarpado do Egito antes de chegar à costa líbia.

— Conversamos com imigrantes oriundos da África Oriental e eles parecem cientes de que a Líbia é hoje um território muito perigoso — diz Di Giacomo. — Então, quando podem, eles partem do Egito.

oglobo.globo.com | 5/25/16 10:47 PM