Wikipedia

Notícias : Oceano Índico

Vulcão entra em atividade na ilha francesa de Reunião

Erupção é a terceira do vulcão Piton de la Fournaise neste ano. Ilha fica no Oceano Índico. g1.globo.com | 8/1/15 2:00 PM
Destroços que poderiam ser do voo MH370 chegam a Paris

PARIS — Um fragmento de uma asa que especialistas acreditam que poderia ser do Boeing 777 desaparecido da Malaysia Airlines chegou a Paris neste sábado. A peça, conhecida como flaperon, foi encontrada na quarta-feira na ilha francesa de Reunião, no Oceano Índico, e será transportada para um laboratório do Ministério da Defesa em Toulouse para análise. MH370

De acordo com uma fonte próxima ao caso, o destroço será examinado a partir de quarta-feira. A caixa que leva a peça de dois metros de comprimento só será aberta até a chegada de uma equipe de especialistas da Malásia.

O fragmento foi transportado em um voo comercial da Air France, indicou a empresa Aeroportos de Paris em seu site.

A empresa americana Boeing também enviará uma equipe ténica para participar da análise da peça que contém a inscrição "657BB". O número indica que pertence a um Boeing 777, de acordo com vários especialistas.

Os restos de uma mala encontrados no dia seguinte à descoberta do pedaço da asa serão analisados em um laboratório na região de Paris. Ainda não se sabe quanto tempo levará a análise.

O voo MH370 da Malaysia Airlines desapareceu em março de 2014 enquanto viajava de Kuala Lumpur para Pequim, configurando um dos maiores mistérios da História da aviação. Havia 239 passageiros e tripulantes a bordo. Trata-se do único Boeing 777 desaparecido no mundo.

Os restos foram encontrados cerca de 4 mil km a oeste da região onde os investigadores pensavam que havia caído o Boeing 777. A Austrália lidera as buscas, que compreende uma vasta área no Oceano Índico. A ilha de Reunião está localizada cerca de 3.700 Km a leste de Madagascar.

oglobo.globo.com | 8/1/15 11:33 AM
Chegou a França fragmento de avião encontrado no Índico
O fragmento de asa de avião descoberto na ilha da Reunião, no Oceano Índico, chegou a França para ser analisado e apurar se corresponde ao Boeing 777 do voo MH370 da Malaysian Arlines desaparecido em 2014. feeds.jn.pt | 8/1/15 9:46 AM
Parentes de passageiros do MH370 veem novamente chance de pôr fim ao mistério

KUALA LUMPUR/PEQUIM - Os familiares já tiveram que se contentar com diversos tipos de pistas durante os mais de 500 dias de buscas do voo MH370 — e todas acabaram se provando equivocadas. Entre os falsos alarmes estão os avistamentos de destroços no Mar do Sul da China e no Oceano Índico, assim como sinais que, acreditava-se, vinham das caixas-pretas do avião desaparecido. Com a nova descoberta, as famílias voltam a sentir a agonia, a esperança, a raiva e o desespero em que mergulharam com a incerteza após o sumiço do Boeing 777 da Malaysia Airlines.

— Meu coração está na minha garganta pela maior parte do dia — diz Sarah Bajc, uma americana cujo parceiro, Philip Wood, estava a bordo do MH370. MH370

K.S. Narendran, cuja mulher, de 25 anos, estava a bordo da aeronave, permanecia cético em relação aos achados recentes que, desta vez, parecem ser capazes de pôr um fim a este capítulo de seu luto.

— Nós passamos por isso tantas vezes. Eu acho que realmente não tem nos ajudado a manter as expectativas altas ou, de certa forma, ter esperança de respostas rápidas — disse ele à TV americana CBS.

Sem fechar o episódio, muitos não conseguem abandonar a esperança — por mais ínfima e improvável que seja — de que seus parentes possam estar a salvo em algum lugar.

— Precisamos achar a parte principal da aeronave e os corpos. Até lá, vou continuar acreditando que meu filho está vivo — disse Selamat Omar, da Malásia, referindo-se ao filho, Mohamed.

Entre os chineses, a maioria dos que estavam a bordo, houve muitas reclamações, dada a insatisfação com o que consideram falta de informação sobre o paradeiro de seus entes queridos pelas equipes de busca.

— Elas nos mantêm sem informação e à margem desse descobrimento — disse, ao “South China Morning Post”, Steve Wang, cuja mãe desapareceu junto com as 238 pessoas a bordo.

Xu Jinghong também busca respostas sobre o paradeiro da mãe. Ele, porém, tem dúvidas de que os restos encontrados na Ilha de Reunião pertençam ao avião em que ela viajava para Pequim.

oglobo.globo.com | 7/31/15 12:57 AM
Fragmento de asa em análise pertence a um Boeing 777
O fragmento de asa de avião descoberto na ilha da Reunião, no Oceano Índico, corresponde a uma peça de Boeing 777, o tipo de aparelho que fazia o voo MH370 da Malaysian Arlines desaparecido em 2014. feeds.jn.pt | 7/30/15 9:36 PM
MH370: numeração pode indicar se destroço é de avião desaparecido
Investigadores de aviação se dirigiram nesta quinta-feira à Ilha da Reunião, no Oceano Índico, para determinar se o destroço de um avião levado até as margens é parte do Boeing 777-200 do voo MH370, da Malaysia Airlines, que desapareceu em março de 2014 com 236 pessoas a bordo. correiodobrasil.com.br | 7/30/15 1:12 PM
Destroço achado no Oceano Índico parece de 777, dizem AP e CNN

Agência diz que investigadores teriam 'alto grau de confiança' de ser 777. Destroço que parece de avião foi encontrado nesta quarta no Oceano Índico. g1.globo.com | 7/29/15 10:07 PM
Destroço de avião encontrado em ilha francesa pode ser de voo MH370

PARIS — Um pedaço de destroços de um avião foi encontrado no Oceano Índico nesta quarta-feira, levando a especulações de que seria do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido desde março do ano passado. A peça de dois metros meio destruída, com ferrugens e buracos parece ser parte da asa de uma aeronave. Ela foi achada em uma praia da ilha francesa de Reunião, que fica a leste de Madagascar, por funcionários de uma associação responsável pela limpeza da costa.

— A peça estava coberta de conchas, por isso gostaria de dizer que estava na água por muito tempo — disse uma fonte próxima aos investigadores à AFP.

Funcionários da aviação francesa abriram uma investigação para descobrir a origem dos destroços, mas ressaltaram que ainda é cedo para dizer se pertencem à aeronave que sumiu dos radares no ano passado. Eles procuram informações como o número de série para conseguir mais detalhes sobre a peça. Destroço de avião encontrado em ilha francesa pode ser de voo MH370

Com base em fotos recebidas, um perito francês em segurança aérea, Xavier Tytelman, revelou em sua conta no Twitter que há semelhanças entre os flaps (das asas) de um Boeing 777 e o resto encontrado. O especialista ressaltou, no entanto, que o fato da peça ter sido descoberta na ilha não significa que o MH370 chegou tão longe.

— Os restos poderiam ser arrastados pelas correntes, e chegar a este lugar depois de um ano — afirmou Tytelman.

De acordo com a AP e a CNN, fontes americanas confirmaram que o pedaço da fuselagem corresponde ao de um Boeing 777, o mesmo do MH370. O jornalista Glenn Farley, especialista em aviação civil, citou uma fonte que dá grandes chances de que o pedaço seja do MH370. Farley

O avião da Malaysia Airlines desapareceu em 8 de março do ano passado, depois de sair de Kuala Lumpur com destino à China com 239 pessoas a bordo. Até agora, nenhuma parte da aeronave foi encontrada, em um dos grandes mistérios da aviação mundial. A principal hipótese dos investigadores é que ele tenha caído no Sul do Oceano Índico.

oglobo.globo.com | 7/29/15 5:47 PM