Wikipedia

Notícias : Oceano Índico

Piloto do MH370 teria despressurizado a cabine do avião

O autor de um livro recém lançado sobre o desaparecimento do voo MH370 afirma que todas as 239 pessoas a bordo morreram em decorrência da falta de oxigênio, antes que o Boeing caísse nas águas do Oceano Índico, informou o Daily Mirror.... noticias.terra.com.br | 8/19/14 7:31 PM
Casal indonésio reencontra a filha 10 anos após o tsunami
A menina tinha quatro anos na altura da tragédia, que fez mais de 220 mil mortos no oceano Índico, e tinha sido dada como morta pelos pais. Afinal, sobreviveu agarrada a um pedaço de madeira. feeds.dn.pt | 8/8/14 9:48 AM
Grupo chinês firma acordo para construir porto do Quênia
Uma empresa chinesa assinou um acordo de US$ 478,9 milhões para construir três berços no porto queniano de Lamu, no Oceano Índico, de acordo com um comunicado divulgado pelo gabinete do presidente da companhia na noite de sexta-feira. atarde.uol.com.br | 8/2/14 2:32 PM
Sumiço do voo 370, um dos maiores mistérios da história da aviação
Membros da Força Aérea neozelandesa realizam buscas no Oceano Índico pelos destroços do voo MH370 - GREG WOOD / AFP

KUALA LUMPUR — Mais de cem dias após o desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines, as causas do incidente continuam uma incógnita. Investigadores sustentam que as pouca evidências coletadas sugerem que o avião foi desviado milhares de quilômetros de sua rota programada antes de mergulhar no Oceano Índico em 8 de março.

A aeronave sumiu pouco depois de decolar de Kuala Lumpur para Pequim com 239 passageiros e tripulantes a bordo. A busca aérea e marítima já é apontada como a mais cara da história da aviação, com a utilização de satélites, aviões e navios de vários países. No entanto, os destroços ainda não foram encontrados.

Sinais que se acreditava ser da caixa-preta do avião levaram a uma intensa busca subaquática que não deu em nada.

Uma nova busca, mais ao Sul, deverá ser feita em agosto em uma área onde aviões e navios já tinham visto detritos na superfície da água.

Hipóteses sobre o que aconteceu são crescentes, embora muitas apresentem pistas falsas. Na ausência de informações concretas de onde a aeronave está, autoridades não descartam quaisquer cenários possíveis.

Segundo especialistas, a falta de avisos sobre um problema a bordo da aeronave sugere uma falha catastrófica, talvez desintegração no ar em vez do impacto com a água.

Não se descarta ainda a possibilidade de erro por parte do piloto, embora informações fornecidas pela Malaysia Airlines mostrem que a tripulação era experiente.

oglobo.globo.com | 7/17/14 4:34 PM
O MH370 também da Malaysian Airlines continua desaparecido
Este é já o segundo incidente a envolver a Malaysia Airlines em poucos meses. No início de Março um avião também da companhia malaia desapareceu dos radares poucos minutos depois de ter levantado de Kuala Lumpur. Na altura a voo MH370 seguia rumo a Pequim com 239 pessoas a bordo quando perdeu as comunicações com a torre de controlo ao sobrevoar o Oceano Índico. Nos dias seguintes ao desaparecimento começou a mais dispendiosa operação de busca e salvamento de sempre. Apesar dos milhões gastos e dos esforços das equipas de resgate provenientes de vários países o Boeing 777 continua desaparecido. Agora surge mais este incidente a envolver também a companhia de avião da Malásia. www.rtp.pt | 7/17/14 1:18 PM
Passageiros do MH370 podem ter morrido por asfixia antes de avião cair no oceano

KUALA LUMPUR — Os 239 passageiros e tripulantes do voo MH370 da Malaysia Airlines provavelmente morreram por asfixia antes de o avião cair no oceano, apontaram os investigadores australianos. Um relatório divulgado na quinta-feira concluiu que a cabine ficou sem oxigênio, causando hipóxia fatal em todos a bordo.

Os investigadores afirmaram que as pouca evidências coletadas sugerem que o avião foi desviado milhares de quilômetros de sua rota programada antes de mergulhar no Oceano Índico. Na tentativa de chegar a uma conclusão sobre o desaparecimento, o Conselho de Segurança nos Transportes australiano tem comparado o voo com desastres anteriores.

— Ao comparar as características do acidente, e com as poucas informações disponíveis sobre o MH370, as autoridades se basearam nos dados históricos de que a tripulação poderia ter ficado inconsciente pela falta de oxigênio para recriar os últimos momentos do acidente — declarou a Autoridade Australiana de Segurança no Transporte.

Já se passaram mais de cem dias desde que o MH370 desapareceu em 8 de março, pouco depois de decolar de Kuala Lumpur em um voo para Pequim. A busca aérea e marítima já é apontada como a mais cara da história da aviação, com a utilização de satélites, aviões e navios de vários países. No entanto, os destroços ainda não foram encontrados.

As equipes tentam delimitar a área de buscas do avião desaparecido, para uma área de 60 mil quilômetros quadrados situada mais ao sul do que inicialmente foi apontado como o destino final da aeronave. Segundo a investigação, diversos fatos que podem ter causado o acidente, entre eles um transtorno durante o voo.

— É muito, muito provável que a aeronave estava no piloto automático. Caso contrário, ele não poderia ter seguido o caminho ordenado que foi identificado através dos satélites — afirmou o vice-primeiro-ministro australiano Warren Truss.

As esperanças de encontrar as caixas-pretas que possuem evidências cruciais sobre o que aconteceu a bordo do avião estão sumindo, pois as baterias dos gravadores já devem ter acabado. A próxima fase da pesquisa está prevista para começar em agosto e levar um ano, cobrindo cerca de 60 mil quilômetros quadrados a um custo de pelo menos US$ 53 milhões.

oglobo.globo.com | 6/27/14 6:37 PM
Falta de oxigênio pode ter matado tripulação e passageiros do voo MH370
As autoridades australianas ventilam a possibilidade de que a falta de oxigênio tenha causado a morte da tripulação e dos passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, que supostamente voou com o piloto automático até cair no sul do Oceano Índico, confirmaram nesta sexta-feira fontes oficiais. "Ao comparar as características do acidente, e com as poucas informações disponíveis sobre o (voo) MH370, as autoridades se basearam nos dados históricos de que a tripulação poderia ter ficado inconsciente pela falta de oxigênio para recriar os últimos momentos do acidente", disse à Agência de notícias Efe a Autoridade Australiana de Segurança no Transporte (ATSB, sigla em inglês). O órgão publicou um relatório ontem para tentar delimitar a área de buscas do avião desaparecido, no qual analisou diversos fatos que podem ter causado o acidente, entre eles "um transtorno durante o voo, um evento de hipóxia/tripulação inconsciente e um voo sem motor". Leia mais (06/27/2014 - 06h59) redir.folha.com.br | 6/27/14 8:33 AM
Avião desaparecido da Malásia voava no piloto automático, diz Austrália
As buscas pelo avião do voo MH370 da Malaysia Airlines, que desapareceu no oceano Índico, sofreram uma nova reviravolta nesta quinta-feira (26). Segundo o governo australiano, o avião estava em piloto automático e ficou sem oxigênio.

"Certamente por seu trajeto pelo oceano Índico, nós estamos confiantes que o avião estava operando no piloto automático e ficou sem combustível", disse o chefe do comitê de segurança aérea da Austrália, Martin Dolan.

O australiano disse que não sabe quando e porque o piloto automático foi ligado, mas afirmou que ele foi acio www.folhadaregiao.com.br | 6/26/14 5:19 PM